UFMS: Projeto Coletivo Arte&Saúde produz vídeos sobre arte e saúde durante quarentena

O projeto “Coletivo Arte&Saúde” , da Faculdade de Artes, Letras e Comunicação, aprovado no edital Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) contra o coronavírus está produzindo vídeos de entretenimento e conscientização para o período de isolamento social. A proposta foi selecionada no edital de projetos e ideias de enfrentamento à Covid-19.

 

A ideia inicial era gravar performances individuais dos membros da Banda Sinfônica da UFMS e publicar em plataformas digitais, mas a iniciativa despertou grande interesse e mais professores da Universidade quiseram colaborar.

 

As produções envolvem, além das performances, eventos, roteiros culturais e indicações de música, poesia e literatura on-line gratuita. A parceria com os cursos de saúde garante vídeos com dicas de prevenção à Covid-19 e saúde em geral. Técnicos-administrativos, egressos e músicos da comunidade externa também participam das produções.

 

O coordenador do projeto e professor do curso de Música, Jorge Geraldo, explica que a ideia é que tudo seja feito a distância. “São diversos profissionais atuando juntos para produzir esses vídeos. Combinamos esses conteúdos e levamos de uma forma simples para as pessoas nesse momento de isolamento, cada um com os seus recursos e todos em teletrabalho. A ideia é que não tenham reuniões”.

 

O projeto tem duração prevista de três meses e um edital foi aberto para selecionar um aluno bolsista para editar, organizar e publicar os materiais. As inscrições terminam hoje, dia 6, e o edital pode ser conferido aqui.

 

A previsão é de que até o fim desta semana os primeiros materiais comecem a ser publicados nas redes sociais.

 

Fonte: UFMS

Psicóloga da UFGD propõe atividades lúdicas para crianças neste período de quarentena

Diversas recomendações ligadas à saúde mental vêm sendo amplamente divulgadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) durante esse período de distanciamento social como medida de proteção contra a covid-19.

 

Dando atenção a todas essas recomendações e com o objetivo de facilitar a convivência intensa e ininterrupta da família na mesma residência, o projeto “Brinquedoteca UFGD em Casa” está elaborando sugestões de brincadeiras, jogos e atividades lúdicas para serem desenvolvidas entre crianças, adultos e idosos.

 

São várias as brincadeiras e jogos que podem ser feitos individualmente, mas o projeto estimula, principalmente, as atividades em conjunto com os membros da família. Elas podem ser feitas sem nenhum material, ou usando coisas que já se tem em casa, como papel, lápis de cor, canetinha, massinha de modelar, caixas de sapato, tampas de garrafa, as próprias garrafas pet, cartas de baralho, dentre outros.

 

Tudo é pensado como estratégia para fortalecer os vínculos familiares, criar memórias afetivas e estimular o desenvolvimento humano. De acordo com Cíntia Garbin, psicóloga da UFGD, idealizadora e responsável pela execução do projeto, esse momento de distanciamento social físico é desafiador para qualquer pessoa, e é importante ressaltar que as crianças também sentem ansiedade, medo, estresse e angústia.

 

Diante desse cenário, e para auxiliar os papais e mamães que não querem deixar os pequenos exclusivamente envolvidos em atividades sedentárias e de isolamento familiar (celular, TV ou tablet), ou até mesmo para a criançada que já brincou tanto e está com as opções esgotadas, segue uma lista de atividades indicadas pela psicóloga que podem unir e divertir a família toda:

 

Contação de histórias

 

Escreva em tiras de papel: 7 objetos, 7 personagens, 7 lugares, 7 animais e 7 objetivos. Cada pessoa pegara uma tira de cada elemento e contará uma história utilizando todos os elementos.

 

Seja criativo: use objetos fantásticos, como lâmpada mágica, xícara invisível; os personagens podem ser gnomos, fantasminha, cavaleiro; e porque não lugares desafiadores como vulcão em erupção, um mar cheio de tubarões; os animais também podem ser fantásticos, como cavalo voador ou coruja falante; por fim, seja ousado nos objetivos e coloque a família para recuperar a pedra do poder no fundo do mar ou visitar a lua.

 

 

Brinquedoteca UFGD em Casa

 

Jogo da memória

 

Utilize dois naipes de cada número e figura (dama, valete e rei). Embaralhe as cartas e coloque-as viradas para a mesa. Como um jogo de memória tradicional, os jogadores devem virar de duas em duas cartas e encontrar os pares de números. Não tem baralho em casa? Desenhe os números em um papel, recorte e mãos a obra.

 

Desenho

Pegue algum desenho da criança e estimule-a a colorir. Mais ainda: que tal pegar massinha, ou areia e água, e materializar o desenho?

 

Castelo de cartas

 

Incline duas cartas uma contra a outra, formando um triângulo em pé. Repita o processo com mais duas cartas, pegue outra e, de forma horizontal, coloque sobre as pontas dos dois triângulos. Faça isso quantas vezes quiser até formar um castelo de cartas.

 

Porquinho ou dorminhoco

 

Cada jogador recebe 4 cartas, o objetivo é formar grupo de 4 quartas de um número só. Para isso, o jogador precisa se livrar das cartas diferentes o mais rápido possível.

 

Depois que as cartas forem distribuídas, um dos jogadores grita “vai” e todos passam uma de suas cartas ao jogador da esquerda. Isso se repete até que um dos jogadores consiga formar um grupo de 4 cartas com mesmo número. Quando isso acontecer, este jogador baixa silenciosamente suas cartas na mesa e coloca o dedo na ponta do nariz. Todos deverão fazer o mesmo e o último a colocar o dedo no nariz será o “porquinho” ou “dorminhoco da rodada”. Ganha aquele que, em 5 rodadas, tiver sido o dorminhoco menos vezes.

 

Desenhos nas nuvens

 

Da janela de casa ou deitado em um gramado, observe o movimento das nuvens e use a criatividade para imaginar formas de objetos ou animais.

 

 

Brinquedoteca UFGD em Casa

 

Compartilhe sua experiência

 

“O principal objetivo é que tenha olho no olho, encontro de sorrisos, que o fazer junto renove as relações interpessoais e, claro, crie memórias e lembranças de afeto, fraternidade, reciprocidade e solidariedade. Fico do outro lado da tela torcendo, de dedos cruzados!”, afirma Cíntia.
A psicóloga convida as famílias que realizarem essas atividades a enviarem fotos da garotada brincando, comentários e até mesmo sugestões para o e-mail brinquedoteca@ufgd.edu.br.
Para quem se interessar em ver mais detalhes sobre as atividades ou baixar as imagens para compartilhar com amigos, elas ficam disponíveis pelo link:
https://www.ufgd.edu.br/secao/brinquedoteca/index. Lá você vai encontrar, ainda, um bônus: imagem preto e branca e colorida para imprimir o jogo Tangram, ou dicas de como fazer o seu, caso não tenha impressora. É pra desafiar a criatividade e estimular a paciência mesmo!

 

Fonte: UFGD

Na Capital, para estimular a leitura, professora da Uems cria espaço de troca de livros

Uma casinha no meio da calçada. Dentro estão vários livros que você pode pegar e levar. Se quiser, também pode deixar um livro para outra pessoa ler. Esse compartilhamento tem o objetivo de estimular a leitura e faz parte do projeto “Casa da leitura: práticas pedagógicas a partir da leitura educativa!”, coordenado pela professora Patrícia Alves Carvalho, do curso de Pedagogia da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), de Campo Grande.

 

O projeto, que ainda está em fase piloto, tem repercussão com adultos e crianças e mesmo em tempos de pandemia, vem atraindo adeptos. “Os livros aparecem na caixinha. As pessoas estão pegando e deixando”, conta a professora Patrícia, que para cuidar da higiene, instalou uma estrutura de água e sabão ao lado da casinha, para higiene das mãos.

 

Patrícia explica que os livros são diversos e que pretende ampliar o projeto com outros cursos da UEMS, para que algumas casinhas sejam temáticas. “Podemos trabalhar com livros voltados para área de Geografia, por exemplo. As crianças se interessam muito por essa área”, disse Patrícia.

 

Uma outra parceria que se aproxima é com o curso de Arquitetura da UFMS, para construção de casinhas com material reciclável. “Essa primeira casinha eu mandei fazer, mas é interessante que as próximas possamos ter essa parceria para diminuir os custos e ganhar um aspecto ambiental, com o uso de materiais recicláveis”, explica Patrícia.

 

Quem se interessar em conhecer a casinha pode ir até a Rua Sacramento, 501, Bairro São Francisco. Leve um livro para trocar! Para mais informações sobre o projeto entre em contato pelo e-mail profpatriciauems@gmail.com ou pelo telefone (67) 98409-7772.

 

Fonte: Uems

Pandemia: Momento é ideal para idosos aprenderem novas tecnologias; ouça

Aceitar o novo faz parte do processo da vida, mas para os idosos isso pode ser mais complicado.

 

A geriatra Roberta França, membro da Comissão de Direito da Pessoa Idosa (OAB/RJ) e da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia e da Sociedade Brasileira de Neuropsiquiatria Geriátrica, diz que o momento atual ajuda a incentivar idosos que têm resistência a aprenderem sobre novas tecnologias,.

 

Ouça a entrevista da geriatra no player abaixo:

 

 

Roberta afirmou que este é o momento da reinvenção, de aceitar o novo. Em tempo de isolamento social, as redes sociais contribuem para a interação dos idosos.

 

Fonte: EBC

Exercícios em casa devem ser feitos sob orientação de profissionais de Educação Física

A prática regular de exercícios físicos traz inúmeros benefícios à saúde e qualidade de vida. Durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o cotidiano de treinos de muitas pessoas foi afetado devido ao fechamento de estabelecimentos, incluindo academias e locais públicos, como praças e parques, com o objetivo de evitar contato e aglomerações.

 

Mesmo neste período de reclusão domiciliar, quem praticava algum tipo de atividade física, diariamente ou algumas vezes por semana, deve prosseguir com os treinamentos, adaptando-os aos espaços disponíveis em cada residência. A prática de atividades, de acordo com os limites de cada organismo humano, é uma aliada no combate ao contágio viral, por fortalecer o sistema imunológico.

 

No entanto, alguns cuidados devem ser tomados. O diretor-presidente da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), Marcelo Ferreira Miranda, alerta que os treinos em casa devem ser realizados sob orientação de um profissional de Educação Física habilitado. “É fundamental que cuidemos da nossa saúde física e mental neste período de isolamento. Mais importante ainda é se exercitar com segurança, com a prescrição e acompanhamento de profissionais devidamente capacitados, respeitando as características de cada organismo”.

 

Para o presidente do Conselho Regional de Educação Física da 11ª Região (Cref11-MS), Joacyr Lima, o praticante deve certificar se o profissional é registrado pela entidade. O ideal é que este também já conheça o programa habitual de exercícios do indivíduo, essencial para uma orientação apropriada. “É a mesma coisa de um remédio que se toma sem a receita médica, que pode fazer mal e até levar à morte. Com o profissional de Educação Física é a mesma coisa, ele é quem sabe para quem está passando a atividade. Se a pessoa faz um treino aleatório na internet, durante este período de pandemia, esse pode causar sequelas irreversíveis”.

 

A Fundesporte tem preparado vídeos, gravados e ao vivo, diariamente, voltados a pessoas de todas as faixas etárias. As aulas, oferecidas nas redes sociais (Facebook e Instagram) por profissionais de Educação Física vinculados à Fundação, são de intensidade moderada, para a prática sem riscos. “Porém, se alguém tiver algum problema específico, muscular ou histórico de lesão, entre em contato com a equipe da Fundesporte para que possamos montar uma rotina de exercícios adequada às suas necessidades e características”, enfatiza Marcelo Miranda.

 

Para saber se o profissional é habilitado, basta acessar o site: www.confef.org.br. No canto superior direito, há um campo de “busca por registrados”. Digite o nome do criador do treino. Se o registro for encontrado: ele é Profissional de Educação Física e está habilitado para orientar sua atividade. Caso contrário, denuncie ao Cref da região e busque um profissional sério e habilitado para orientar sua prática. Veja como fazer denúncias para o Cref11-MS: http://cref11.org.br/denunciar.asp.

 

*Com informações do Cref11-MS.

UFMS: Psicóloga dá dicas sobre rotina de trabalho e estudos nesta fase de quarentena

Um dos eixos estratégicos do plano de contingência da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) é o cuidado com as pessoas e durante essa fase delicada de adaptação ao isolamento social, é preciso atenção redobrada uns com os outros e com nós mesmos.

 

Com isso em mente, a psicóloga Ana Lúcia de Souza foi consultada pela Rádio Educativa sobre quais atitudes podemos tomar para facilitar o cotidiano na quarentena, momento em que a rotina profissional foi alterada com a implantação do teletrabalho e os estudantes passaram a ter estudos dirigidos utilizando tecnologias ao invés de aulas presenciais.

 

Segundo a psicóloga, é importante estabelecer uma nova rotina com horários de trabalho e lazer bem definidos. “Separar tempos específicos para as atividades de lazer, sejam as redes sociais ou de notícias mesmo, e tempos específicos para as ferramentas exclusivas de trabalho. Não dá para ficar acessando uma e outra coisa o tempo todo, acho que a gente precisa ter foco e determinar tempos específicos para cada uma dessas ferramentas, porque todas elas têm um lugar”, afirma.

 

Para as pessoas que estão encontrando dificuldades em se concentrar, Ana Lúcia sugere intervalos eventuais entre as tarefas. “Fazer pequenos intervalos na jornada de trabalho e de estudos também é importante se a pessoa tiver alguma dificuldade de concentração”.

 

Ela alerta que a organização das atividades diárias é essencial, para que não se tente fazer muito em apenas um dia, pois isso pode gerar frustração. “É preciso cuidar também das metas muito exageradas, porque a gente pode dividi-las em etapas e ir cumprindo parte a parte cada uma delas, sem que a gente tenha que resolver uma montanha de coisas de uma só vez”.

 

Essas dicas são importantes para que o cérebro compreenda a separação do que é lazer e do que é dever, e para manter a saúde mental em equilíbrio, não se pode esquecer de realizar atividades prazerosas e, se for preciso, adaptá-las para este momento de quarentena. “Eu acredito que fazer as coisas que a gente gosta, principalmente em casa, vai ser definitivo para a gente manter a nossa saúde mental equilibrada e entender que o convívio com os nossos familiares também pode facilitar essas relações”, conta Ana Lúcia.

 

Uma das maneiras de lidar com esse período é ter em mente que eventualmente o dia a dia voltará ao normal. “Acredito que o princípio de tudo é a gente perceber que esse período é transitório, que em algum momento a gente vai conseguir retomar as nossas rotinas, as nossas atividades, da forma como a gente gostaria que elas acontecessem”, reforça a psicóloga.

 

Fonte: UFMS

Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul suspende eventos nos meses de março e abril

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul decidiu pela suspensão de todos os eventos culturais programados para março e abril deste ano. A medida ocorre devido à pandemia mundial do novo coronavírus (Covid-19) e em atendimento ao decreto nº 15.391 do Governo do Estado, que dispõe sobre a suspensão de qualquer evento coletivo realizado por órgãos ou entidades da Administração Pública Estadual Direta e Indireta que implique na aglomeração de pessoas.

 

Também foi implantado o atendimento remoto (via telefone e e-mail) em sua sede entre os dias 20 de março a 6 de abril. Com isto, a entrada e o atendimento presencial ao publico ficarão suspensos, inclusive em suas unidades: Museu da Imagem e do Som (MIS), Museu de Arte Contemporânea (MARCO), Centro Cultural José Octávio Guizzo (CCJOG), Biblioteca Estadual Dr. Isaías Paim, Casa do Artesão de Campo Grande, Arquivo Público do Estado de Mato Grosso do Sul (APE) e Concha Acústica Helena Meirelles.

 

“Não podemos negligenciar as projeções de contaminação feitas por especialistas para os próximos dias. A saúde é primordial e, por isso, vamos adotar as medidas necessárias para a redução do risco de contaminação dessa doença. Não estaremos com as nossas unidades abertas ao público durante 15 dias, no entanto, com exceção dos servidores que se enquadram no grupo de risco, os demais realizarão expediente normal, porém interno”, afirmou a diretora-presidente da FCMS, Mara Caseiro.

 

Sobre os eventos culturais programados para março e abril, Mara frisou que todos estão suspensos, sejam eles executados ou apoiados pela Fundação de Cultura. “Temos que ser cautelosos e atender as medidas de prevenção e controle desenvolvidas pelo Governo do Estado para conter o avanço desta doença. Neste momento crítico, a conscientização e a responsabilidade de todos poderá conter a circulação do vírus e minimizar os efeitos negativos para a economia e a saúde do País”, finalizou.

 

Para acessar os editais e os telefones das gerências e unidades da Fundação de Cultura, acesse o menu superior da nossa página: www.fundacaodecultura.ms.gov.br

Fundação de Cultura lança edital emergencial para auxiliar artistas durante a pandemia

 Foi publicado no Diário Oficial de ontem (02/04) edital emergencial “Projeto MS Cultura Presente” da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul selecionando artistas de todas as áreas artístico-culturais para apresentações, exibições e oficinas pré-produzidas e apresentadas online. O edital foi elaborado considerando a pandemia mundial do coronavírus, que exigiu medidas de enfrentamento, como a suspensão temporária de eventos coletivos com aglomeração de pessoas.

 

Em decorrência das medidas de contenção da propagação do vírus, os artistas do Estado foram privados de executarem seus serviços artístico-culturais e por este motivo terão dificuldades de manter suas necessidades básicas e de suas famílias.

 

O edital visa a contratação de artistas naturais de Mato Grosso do Sul ou não, mas desde que residentes neste Estado há pelo menos 2 (dois) anos, maiores de idade, e que vivam exclusivamente de sua arte, para se apresentarem, exibirem suas obras, realizarem exposições e/ou ministrar oficinas, e que no período de isolamento social, determinado pelas autoridades públicas, não têm outra fonte de renda além daquelas advindas de seus trabalhos e produções na área artístico-cultural.

 

Serão selecionados até 722 (setecentos e vinte e dois) artistas de todas as áreas, organizados em grupos ou individualmente (artistas solos), pessoas físicas ou microempreendedores individuais. As inscrições estarão abertas no período de 02 de abril de 2020 a 13 de abril de 2020, especialmente nas áreas de Artes Cênicas (circo, dança, teatro); Música; Artes Visuais; Audiovisual; Artesanato; Literatura e Patrimônio Cultural.

 

Todas as propostas deverão conter 1 (um) vídeo contendo apresentação/exposição/oficina/exibição em meio digital, que serão exibidas via internet nas redes sociais da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul – FCMS e do Estado de Mato Grosso do Sul. Os vídeos deverão prever uma apresentação com cinco minutos de duração. É imprescindível que o conteúdo tenha qualidade artístico-cultural e tecnológica capaz de ser veiculado nas mídias sociais, conforme parâmetros estabelecidos no edital.

 

Cada artista receberá um prêmio de R$ 1.800,00 (um mil e oitocentos reais) bruto, a ser pago em 2 (duas) parcelas mensais e sucessivas no valor de R$ 900,00 (novecentos reais) bruto, se sua proposta de apresentação on-line for selecionada. Nas propostas apresentadas por grupos de até 4 (quatro) integrantes, cada integrante receberá individualmente nas suas respectivas contas correntes a premiação de R$ 1.800,00 (um mil e oitocentos reais) bruto, parcelados, e grupos com mais de 4 (quatro) integrantes receberão o limite de R$ 7.200,00 (sete mil e duzentos reais) bruto de premiação, também parcelados e rateados em partes iguais e depositados nas respectivas contas correntes de cada um dos integrantes do grupo.

 

As inscrições deverão ser realizadas a partir das 8 horas do dia 02 de abril de 2020 até às 23 horas e 59 minutos do dia 13 de abril de 2020, horários de Mato Grosso do Sul, por meio do formulário Google no endereço eletrônico https://forms.gle/kDvzzMcGYsUYP7bc7 ou pelo email: msculturapresente@gmail.com onde cada artista proponente deverá inserir as seguintes informações: Link (endereço onde o vídeo/curta metragem está armazenado na nuvem) do Youtube, Vimeo ou Google Drive (com a senha de acesso, quando houver) da proposta de apresentação on-line, ou upload do vídeo via email: msculturapresente@gmail.com, se for o caso. Juntamente com as informações previstas no artigo anterior, deverão ser juntados os documentos e/ou documentos exigidos pelo edital scanneados e legíveis.

 

 Quaisquer esclarecimentos e informações complementares sobre este Edital poderão ser obtidos pelo email ou celular, conforme a área/segmento:

 

a)Artes Cênicas: (067) 99272-9770 –  falar com Márcio Veiga (fcms_teatro@yahoo.com)

 

b)Música: (067) 99959-6056  – falar com Vítor Maia (fcmsmusica@gmail.com) ou Alexander Onça (067) 99667-6098

 

c)Artes Visuais: (067) 99912-2010 – falar com Cris Freire (gphc.fcms@gmail.com)

 

d)Audiovisual: (067) 99253-5955 – Lidiane Lima (audiovisual.fcms@gmail.com)

 

e)Artesanato: (067) 99233-2947 – falar com Katienka Klein (artesanato.fcms@gmail.com)

 

f)Literatura: (067) 99688-1529 – falar com Melly Sena (literaturafcms@gmail.com)

 

g)Patrimônio Cultural: (067) 99177-1111 – falar com Caciano Lima (gphc.fcms@gmail.com)

 

As inscrições são gratuitas. Para ter acesso ao edital, contendo as normas específicas de gravação dos vídeos para cada área, a ficha de inscrição, documentos necessários e os critérios utilizados para a seleção, basta acessar os links abaixo:

EDITAL PROJETO MS CULTURA PRESENTE

Anexo I – ficha de inscrição (em word)
Anexo II – Declaração de Não beneficiário dos programas sociais do Governo Federal (em word)
Anexo III – Declaração de ausência de vínculo empregatício (em word)

Prêmio Funarte de Apoio a Bandas de Música 2020: inscrições prorrogadas até 8 de abril

A Fundação Nacional de Artes – Funarte prorrogou até o dia 8 de abril as inscrições para o edital Prêmio Funarte de Apoio a Bandas de Música 2020. Com alcance nacional, a seleção vai distribuir gratuitamente 790 instrumentos de sopro para 158 conjuntos musicais. Podem participar bandas denominadas de musica, municipal, sinfônica, de concerto, filarmônica, de sociedade musical e orquestra de sopro. A portaria de prorrogação foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira, 10.

 

O edital integra o Projeto Bandas de Música, programa permanente da Funarte para incentivo aos conjuntos musicais instrumentais desse tipo. O investimento total é de R$ 5.475.050,20.

Entre os critérios a serem avaliados pela comissão julgadora estão: qualificação da banda de música; clareza na exposição das necessidades da banda de música; viabilidade prática do projeto; histórico da banda; e qualificação do regente da banda. Cada proponente poderá escolher até cinco instrumentos, entre eles: um bombardino em Sib, um bombardão tuba ¾ em Sib, um clarineta 17 chaves em Sib, um saxofone alto em Mib, um saxofone tenor em Sib, um trompete em Sib, um trombone de vara em Sib, uma flauta transversa em Dó e uma trompa cromática em Fá/Sib.

 

Interessados devem preencher o Formulário de Apresentação do Projeto, disponível no link abaixo, e enviar, junto com o material listado no edital, pelo correio, via sedex, para o endereço informado no item 6.2.

 

Acesse aqui a portaria da prorrogação.

Acesse aqui o Formulário de Inscrição

 

Para ler o edital e demais documentos referentes a esta seleção, acesse a página do edital