Samba, forró e pop rock no happy hour desta semana no Sesc Morada dos Baís, na Capital

A segunda semana de dezembro tem ritmos dançantes e muita animação nas noites de happy hour do Sesc Morada dos Baís. As apresentações começam às 19h30 e são abertas ao público.

 

Na quarta-feira, dia 11, quem sobe ao palco é o sambista Chokito.  Em seus vinte anos de carreira, o sambista comanda uma banda de trabalho amadurecido e promete, mais uma vez, animar o público.

 

Quinta-feira,12, tem forró com o Trio Zabumba Morena, com repertório de amores e realidades nordestinas, em arranjos simples. A proposta do show é trazer ao cerrado o clima do Nordeste, com hinos que marcaram história.

 

Sexta-feira, 13, a unidade estará fechada ao público para a ação interna do Sesc “Conversando com o Time”. No sábado, 14, tem apresentação da banda Cover Up, com o melhor do pop rock.

 

O Sesc Morada dos Baís fica na Avenida Noroeste, 5140. Informações pelo telefone (67) 3311-4300. O espaço bistrô é aberto às 18h30 e as apresentações musicais começam às 19h30. Acompanhe a programação no site sesc.ms.

Cine Café exibe no Museu da Imagem e do Som filme sobre a guerra do Vietnã

“Apocalypse Now”, dirigido por Francis Ford Coppola, é atração do Cine Café desta segunda-feira, 09 de dezembro. O projeto é realizado no Museu da Imagem e do Som da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul e começa às 19 horas. A entrada, como sempre, é franca.

 

Apocalypse Now é um filme épico de guerra norte-americano de 1979 escrito por John Milius. No elenco, Marlon Brando, Robert Duvall e Martin Sheen. O enredo sobre a Guerra do Vietnã segue a história de seu personagem central, o oficial das Operações Especiais do Exército dos Estados Unidos, Capitão Benjamin Willard, do Comando de Assistência Militar, em uma missão para matar o renegado e presumido insano, em uma missão para matar o renegado e presumido insano Coronel Walter E. Kurtz, das Forças Especiais.

 

Kurtz, no passado um soldado brilhante, aparentemente enlouqueceu e comanda seu próprio exercito como um semideus. Analises de críticos vem discutindo se o filme é pró ou antiguerra com suas imagens de destruição da natureza, além da brutalidade sem propósito e a supremacia norte-americana e os efeitos que a guerra é capaz de causar na mente humana.

 

O roteiro foi originalmente concebido por Millus no final da década de 1960, através de uma ideia de mudar a história do romance Heart of Darkness de Joseph Conrad, em que Charles Marlow parte em uma busca no Estado Livre do Congo pelo desaparecido Sr. Kurtz, para a época da guerra do Vietnã. A ideia chegou até Coppola no meio da década de 1970, inicialmente ele planejava apenas produzi-lo.

 

O cineasta assumiu a direção e decidiu fazer o filme na Manila e Filipinas em busca de baixos custos e equipamentos emprestados pelo governo local. Ao decorrer das filmagens e pós-produção o roteiro foi severamente modificado pelo diretor que o considerava problemático.

 

 

Após seu lançamento, “Apocalypse Now” ganhou ampla aclamação crítica e seu efeito cultural e temas filosóficos têm sido largamente discutidos desde então. Hoje é fortemente considerado como um dos melhores filmes de todos os tempos. Honrado com a Palma de Ouro no Festival de Cannes e nomeado ao Oscar de Melhor Filme e o Globo de Ouro de Melhor Filme – Drama, também foi considerado “culturalmente, historicamente ou esteticamente significante” e foi selecionado para preservação pelo National Film Registry, em 2000.

 

“Apocalypse Now” tem duração de 153 minutos e classificação de 16 anos. O longa teve um bom desempenho nas bilheterias quando foi lançado em agosto de 1979 e permanece como uma das obras mais controversas já realizadas sobre o Vietnã em qualquer meio.

 

O projeto Cine Café sempre oferece um cafezinho, chá e leite com chocolate e bolachinhas para os cinéfilos que visitam o museu. Para degustar estas delícias, basta trazer sua canequinha. O MIS fica no Memorial da Cultura e da Cidadania, na avenida Fernando Correa da Costa, 559 Centro, no terceiro andar. Telefone: (67) 3316-9178.

Na Capital, Sesc Cultura recebe espetáculo sobre o amor, ambientado nos anos 80

De 10 e 12 de dezembro, às 19 horas, o Sesc Cultura recebe o Espetáculo Amor 1980, do Grupo Casa. A apresentação será na Sala de Música, a distribuição gratuita de ingressos ocorre meia hora antes e é limitada à capacidade do espaço, para 80 pessoas. A classificação indicativa do espetáculo é 12 anos.

 

A montagem é livremente inspirada nos romances “Eu Sei Que Vou Te Amar” de Arnaldo Jabor, “O Coiote”, de Roberto Freire e “Uma Aprendizagem ou o Livro dos Prazeres”, de Clarice Lispector, ambientada anos 80, por meio da decoração, o figurino, as músicas e cores que lembram essa época em que tudo parecia mais “louco” e livre. Mistura cores, maluquices e liberdades da época. “E esse é o grande ponto onde todo mundo se conecta, todo mundo já viveu algum amor”, detalha a diretora e atriz Ligia Prieto.

 

A peça conta a história de dois personagens, Ele e Ela, um jovem casal recém-separado que, ao decorrer da história, acabam por perceber que a verdade do amor está em vivê-lo em toda sua essência, entre loucuras e destemperanças. A peça retrata o casal se reencontrando após esse período separado e, nesse reencontro, eles ‘lavam a roupa suja’, jogam as coisas na cara um do outro, revelam segredos, se divertem e se amam muito.

 

“Quando eles se reencontram há uma explosão de acusações, mas todas são muito pertinentes. É o relacional da relação acontecendo. Inclusive, nessa montagem, dividimos o personagem Ele em três: o romântico, o questionador e o prático. Enquanto Ela é uma, única, completa de todas as suas nuances.”, conta o diretor e dramaturgo Fernando Lopes Lima, que também assina o cenário e faz parte do elenco.

 

Além de Ligia e Fernando, os atores Begèt De Lucena, Bruno Loiácono, Bruno Sarate, Kelly Figueiredo e Samuel Alejandro compõem o elenco deste espetáculo que propõe o resgate de uma liberdade perdida nos dias atuais pra falar de amor, se entender amante e se entender amado. Sempre é uma boa hora para se falar de amor.

 

Sobre o Grupo Casa

 

Estabelecido em março de 2014, pelos atores e diretores Ligia Prieto e Fernando Lopes Lima, o Coletivo de Artistas “Grupo Casa” possui um repertório com mais de 30 espetáculos, conta com uma média de cem alunos, e entende claramente que esse é só o começo de uma grande caminhada. A Casa de Cultura Nildes Tristão Prieto também conta com uma biblioteca com mais de mil e quinhentos livros aberta ao público.

 

O Sesc Cultura está localizado na Avenida Afonso Pena, nº 2270. Informações pelo telefone 3311-4300. O funcionamento é de terça-feira a sábado das 13h às 21h30 e da Central de relacionamento: 13h às 17h30 e das 19h às 21h30. A Biblioteca atende das 13h às 21h30 e a Galeria de Arte fica aberta das 13h às 21h30.  Acompanhe a programação no site sesc.ms

Na Capital, MIS exibe documentário sobre batalhas de poesia performáticas femininas

Poesia por um novo mundo. “Slam: Voz do Levante, documentário de Tatiana Lohmann e Roberta Estrela D’Alva, apresenta nesta quinta-feira (5), no Museu da Imagem e do Som da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, batalhas poéticas de mulheres que buscam mais conscientização. A exibição é gratuita e acontece às 19 horas.

 

O documentário explora uma atividade cada vez mais comum no país nos últimos anos: as Poetry Slams, batalhas de poesia performáticas que atraem ouvintes de diferentes realidades sociais e vivências. A produção ainda viaja para os Estados Unidos, local onde o estilo nasceu e depois se expandiu rapidamente para o mundo todo.

 

Além de Chicago e Nova Iorque, as filmagens passam por Paris e São Paulo e encontram a mesma cena com diferentes faces: batalhas poéticas performáticas, que se firmam como encontros que instigam a criatividade e o convívio entre diferentes e surgem diante da onda política conservadora mundial como ágoras do livre pensamento e expressão.

 

A poeta Luz Ribeiro vence o campeonato brasileiro e vai pra Copa do Mundo de Poetry Slam, em Paris, representando a nova vertente negra e feminista que tem se firmado pela virulência de seu verbo politizado.

 

O filme conquistou dois prêmios no Festival do Rio 2017 e de melhor filme nacional no Festival Internacional Mulheres no Cinema. A exibição no MIS é realizada pelo produtor cultural Thales Henrique da Silva.

 

“Slam: Voz do Levante (Documentário | 12 anos | 85 min | Brasil,EUA) será exibido dia 5 de dezembro (quinta), às 19 horas, no Museu da Imagem e do Som, que fica no Memorial da Cultura, na Avenida Fernando Correa da Costa, 559, quinto andar. A entrada é franca.  

Sesc Cultura será “invadido” pelo Circo Le Chapeau e também tem espetáculo de dança

Dezembro começa com programação a todo vapor no Sesc Cultura, que será tomado pela magia do circo já na primeira semana, com a Ocupação do Circo Le Chapeau, de Dourados.

 

No mês em que se comemora o Dia do Palhaço e se celebra o início das férias, oficinas e espetáculos imperdíveis estarão abertos ao público, começando já na quarta-feira, 04, com Oficina de acrobacias circenses voltada a participantes com pelo menos 16 anos. As oficinas serão todas no período da tarde/noite e para participar é preciso ter o cartão Sesc válido, que pode ser feito na própria unidade com investimento de R$ 15,00, exceto para comerciantes e dependentes, que podem fazer o cartão gratuitamente.

 

Na quinta, 05, haverá Consultoria de números circenses – vivência Cabaret Du Chapeau, voltada exclusivamente para artistas que já tenham número circense em qualquer fase de execução.  Sexta-feira, 06, atividades circenses para crianças Faixa etária: 6 a 12 anos durante o “Circando”. Às 18h30min haverá uma apresentação Pocket Show no Átrio. Encerrando a maratona circense, no sábado, às 16h30min, haverá a Apresentação Cabaré du Chapeau.

 

Também tem apresentação de dança no fim de semana, na sexta e sábado, às 20 horas, com a Cia. Dançurbana, levando o Projeto Singulares, uma mostra de solos.

 

Cinema

 

A semana será marcada, ainda, pela mostra Cineclassique, que leva ao público uma seleção especial de filmes que resistiram ao tempo, com exibições de terça a sexta-feira, sempre às 19 horas, em sessões simultâneas, acontecendo também no Sesc Corumbá.

 

Quarta, 04, tem a felicidade não se compra (1947), de Frank Capra. Sinopse: Clarence é um espírito candidato a anjo que recebe a missão de ajudar um homem muito valoroso, porém desiludido. George Bailey está à beira do suicídio quando é salvo por Clarence, que lhe mostra como ele é importante na vida de muitas pessoas.

 

Quinta-feira é a vez de Rio vermelho (1948), de Howard Hawks. Sinopse: Thomas Dunson é dono de um império. Junto com seu filho adotivo Matthew Garth ele inicia uma longa viagem com parte de seu rebanho, indo do Texas ao Missouri. Durante o percurso acontece um desentendimento entre pai e filho que faz com que Matt leve o gado para outra direção, despertando a ira de Tom.

 

Encerrando as exibições da primeira semana, na sexta-feira, 06, Pacto de sangue (1944), de Billy Wilder. Sinopse: Walter Neff, um vendedor de seguros, é seduzido e induzido por Phyllis Dietrickson, uma sedutora e manipuladora mulher, a matar seu marido, mas de uma forma que pareça acidente para a polícia e também em condições específicas, que façam o seguro ser pago em dobro.

 

O Sesc Cultura está localizado na Avenida Afonso Pena, nº 2270. Informações pelo telefone 3311-4300. O funcionamento é de terça-feira a sábado das 13h às 21h30 e da Central de relacionamento: 13h às 17h30 e das 19h às 21h30. A Biblioteca atende das 13h às 21h30 e a Galeria de Arte fica aberta das 13h às 21h30.  Acompanhe a programação no site sesc.ms

Filmado em Campo Grande, “Outra Chance” estreia no MIS e trata a mudança de atitude

Utopia que promove reflexões. Afinal, quem não gostaria de ter a oportunidade de refazer alguns atos? Este é o ponto central do média-metragem “Outra Chance”, do cineasta Davi Pierre, que estreia no dia 6 de dezembro (sexta-feira), às 20 horas, no Museu da Imagem e do Som da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

 

Produzido com apoio do Fundo Municipal de Incentivo a Cultura (FMIC) da Prefeitura de Campo Grande, “Outra Chance” possui um roteiro cativante: um rapaz que costuma cometer muitos erros na sua vida recebe durante um dia inteiro a oportunidade de corrigir algumas das suas falhas.

 

Hugo é um homem de 25 anos que não mede as consequências de suas atitudes. Depois de trair sua noiva se arrepende verdadeiramente e recebe a ajuda da sua consciência materializada em seu próprio clone para tentar consertar o resultado de suas ações.

 

A exibição é gratuita e a classificação livre. O filme é produzido e dirigido por Davi Pierre, foi filmado em Campo Grande e possui 34 minutos.

 

Serviço: A estreia de “Outra Chance” acontece no dia 6 de dezembro (sexta), às 20 horas no Museu da Imagem e do Som, que fica no Memorial da Cultura, na Avenida Fernando Correa da Costa, 559, Centro. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 99256-4211. 

 

Com informações de Gildo de Souza.

Samba, rock e sertanejo na primeira semana musical de dezembro do Sesc Morada dos Baís

As noites de happy hour de dezembro no Sesc Morada dos Baís começam com a animação do sambista Gideão, na quarta-feira, 04. As apresentações começam sempre às 19h30 e o espaço é aberto ao público.

 

Quinta, 05, tem Moscas de Bar, com clássicos do Rock Nacional, especialmente canções de Raul Seixas.

 

O clima de rock segue na sexta-feira, 06, com Beatles Maníacos, que apresentam as canções mais conhecidas do quarteto de Liverpool, interpretadas da forma mais fiel possível, mantendo-se os arranjos originais.

 

Encerrando a semana musical, no sábado, 07, tem apresentação da dupla Patrícia e Adriana. As irmãs, que começaram suas apresentações na infância, levam clássicos e músicas do novo projeto que lançaram em abril do ano passado, o DVD “A história continua”.

 

O Sesc Morada dos Baís fica na Avenida Noroeste, 5140. Informações pelo telefone (67) 3311-4300. O espaço bistrô é aberto às 18h30 e as apresentações musicais começam às 19h30. Acompanhe a programação no site sesc.ms.

 

III Mostra Sesc de Cinema exibe curtas e longa metragens de várias partes do Brasil

A partir do dia 03 de dezembro o cinema do Sesc Cultura, em Campo Grande, vai exibir produções de várias partes do País inscritas na III Mostra Sesc de Cinema, entre longas e curtas metragens. Além das exibições em sequencia, da mostra, também haverá sessões para a crianças com oito curtas de classificação infantil, aos sábados.

 

A III Mostra Sesc de Cinema terá sessões às 19 horas dos dias 3, 4, 5, 6, 10, 11 e 12 de dezembro. Estarão em exibição durante a mostra: Almofada de penas, de   Joseph Specker Nys (SC); Abrindo as janelas do tempo, de  Santiago José Asef (SC);  Os céus dos índios Desâna e Tuiuca, dirigido por Flávia Abtibol e Chicco Moreira (AM);  Euller Miller entre dois mundos, de  Fernando Severo (PR); Chamando os ventos: por uma cartografia de assobios, com direção de Marcelo Rodrigues; A besta pop, de Artur Tadaiesky e Filipe Rodrigues (PA); Rasga Mortalha, de Pattrícia de Aquino (PB); A praga do cinema brasileiro, de William Alvez e Zefel Coff (DF); Aurora, assinado por Everlane Moraes e Tatiana Monge (SE); Orin: música para os orixás, de Henrique Duarte (BA); Majur, dirigido por Rafael Irineu (MT); Aqueles dois, de Émerson Maranhão (CE); Da curva pra cá, dirigido por João Oliveira (ES) e Estrangeiro, de Edson Lemos Akatoy (PB). São todas produções de 2018.

 

Já as sessões para o público infanto-juvenil serão nos dias 07 e 14 de dezembro, às 17h30, integrando a programação das crianças que ocorre aos sábados. Serão exibidos no primeiro dia os curtas: Poética do barro, de  Giuliana Danza (MG); O malabarista, dirigido por  Iuri Moreno (GO); Lily´s Hair, de  Raphael Gustavo da Silva (GO) e Icamiabas na cidade amazônica, de  Otoniel Oliveira. No dia 14 será a vez de assistir  Vivi Lobo e o quarto mágico, dirigido por  Isabelle Santos e Edu Camargo (PR); A câmera de João, de  Tothi Cardoso (GO); Clandestino, com direção de  Barush Blumberg (RJ) e Cravo, Lírio e Rosas, de  Maju de Paiva (RJ).

 

Confira aqui todas as sinopses

 

Sobre a Mostra –  A Mostra Sesc de Cinema tem como objetivo promover a difusão do circuito cinematográfico brasileiro, sendo uma iniciativa de valorização da produção audiovisual no país. Lançada em 2017, conta com representantes de todas as regiões, procurando ampliar o acesso da população a uma filmografia que expresse a diversidade da produção contemporânea.

 

Na edição de 2019 foram inscritos 1200 filmes, entre curtas, medias e longas-metragens, provenientes de 210 cidades. Deste universo foram selecionadas 42 produções, sendo 10 infanto-juvenis, que compõem o Panorama Brasil.

 

O Sesc Cultura está situado na Avenida Afonso Pena, nº 2270. Informações pelo telefone 3311-4300. O funcionamento é de terça-feira a sábado das 13h às 21h30 e da Central de relacionamento: 13h às 17h30 e das 19h às 21h30. A Biblioteca atende das 13h às 21h30 e a Galeria de Arte fica aberta das 13h às 21h30.  Acompanhe a programação no site sesc.ms

 

Inscrições para editais de fomento cultural têm número recorde submetidos a julgamento

As inscrições para os editais de fomento à cultura do  FMIC (Fundo Municipal de Investimentos Culturais) e do Fomteatro (Programa Municipal de Fomento ao Teatro) têm número recorde de inscrições neste ano. A Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, por meio da Comissão Gestora começou o procedimento de avaliação desta primeira etapa na segunda-feira (25).

 

Ao todo, o órgão municipal recebeu 269 projetos, sendo 238 submetidos para o FMIC e 31 projetos para o Fomteatro. No edital do ano de 2018, por exemplo, se inscreveram, ao todo, 108 projetos, e em 2017 foram 181 inscritos.
A fase de análise de propostas dos projetos se estende até dia 13 de dezembro, sendo que a publicação com a classificação preliminar está prevista para o dia 17 de dezembro.
Na última quarta-feira, 20, ocorreu a reunião plenária com os membros representantes da Comissão Gestora para alinhamento de todos os procedimentos do fluxo de análise dos projetos inscritos.  De acordo com a Secretária Municipal de Cultura e Turismo, Melissa Tamaciro, esse número é uma resposta da sociedade às ações promovidas pela Sectur.
A equipe da Comissão Gestora é formada por quatro membros da Sectur e por outros quatro membros da sociedade civil indicados pelo Conselho Municipal de Cultura, após aprovação do Poder Executivo. Foram instauradas duas comissões, uma para avaliação do FMIC e uma outra para análise do Fomteatro.