Cinema Alemão exibe dilemas contemporâneos em mostra no MIS

A Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul realiza de 4 a 6 de setembro (segunda a quarta), sempre a partir das 19 horas, no Museu da Imagem e do Som a Mostra de Cinema Alemão. As exibições fazem parte do projeto CineMIS e contam com a parceria com a escola Berlin Idiomas. A entrada é franca.

 

A Mostra apresenta ao público um pouco da cinematografia recente da Alemanha em produções que primam pelas relações humanas e, claro, por fotografias belíssimas. São obras de grande relevância para amantes da sétima arte e para estudantes de várias áreas. A curadoria é de Benjamin Möck.

 

As exibições também consolidam o Museu da Imagem e do Som como um espaço social capaz de democratizar o acesso às produções audiovisuais do país e do mundo, além de promover o debate e a reflexão no sentido de contribuir com a formação e a difusão de conhecimento e cultura no Estado.

 

Confira a programação:

 

Segunda – Die fetten jahre sind vorbei (Edukators) – Jan (Daniel Brühl) e Peter (Stipe Erceg) são dois jovens que acreditam que podem mudar o mundo. Eles se auto-denominam “Os Educadores”, rebeldes contemporâneos que expressam sua indignação de forma pacífica: eles invadem mansões, trocam móveis e objetos de lugar e espalham mensagens de protesto. Jule (Julia Jentsch) é a namorada de Peter, que está passando por problemas financeiros, condenada pela justiça um carro a um milionário após um acidente. Ela insiste para que invadam a casa do empresário que a processou, mas cometem um grave erro: Jule esquece seu celular. No dia seguinte, com Peter já tendo retornado da viagem, decidem invadir novamente a casa para recuperá-lo. Porém, são surpreendidos. Direção: Hans Weingartner; (2004).

Terça – Die Well (A Onda) – Em uma escola da Alemanha, alunos tem de escolher entre duas disciplinas eletivas, uma sobre anarquia e a outra sobre autocracia. O professor Rainer Wenger (Jürgen Vogel) é colocado para dar aulas sobre autocracia, mesmo sendo contra sua vontade. Após alguns minutos da primeira aula, ele decide, para exemplificar melhor aos alunos, formar um governo fascista dentro da sala de aula. Eles dão o nome de “A Onda” ao movimento, e escolhem um uniforme e até mesmo uma saudação. Só que o professor acaba perdendo o controle da situação, e os alunos começam a propagar “A Onda” pela cidade, tornando o projeto da escola um movimento real. Quando as coisas começam a ficar sérias e fanáticas demais, Wenger tenta acabar com “A Onda”, mas aí já é tarde demais. Direção: Dennis Gansel; 2008.

Divulgação

Quarta – Was tun, wen’s brennt? (O que fazer em caso de incêndio?) – Na década de 1980 seis amigos ocuparam um prédio na Alemanha, desafiando as autoridades locais. Quinze anos depois eles mudaram bastante, com alguns nem lembrando seu passado de anarquia. Porém, quando uma bomba caseira por eles colocada em 1987 em uma mansão abandonada explode, eles precisam se reunir novamente para evitar que a polícia local descubra que são eles os responsáveis pelo ato. Direção: Gregor Schnitzler; 2001.

Divulgação

 

As exibições do CineMIS acontecem sempre às 19h, com entrada franca. O Museu da Imagem e do Som fica no Memorial da Cultura, na Avenida Fernando Correa da Costa, 559, no Centro.

TV Brasil