Com foco na integração das artes, Fundação de Cultura lança FASP 2019 na Governadoria

O Festival América do Sul Pantanal une pela arte, gastronomia e inclusão pessoas de idiomas e costumes diferentes, mas com muito a compartilhar em quatro dias de intensa troca cultural. O ponto de encontro entre 14 e 17 de novembro é a fascinante Corumbá. E o lançamento desta grande festa organizada pela Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul acontece no dia 16 de outubro (quarta), às 9h, no auditório da Governadoria.

 

O evento de lançamento contará com a participação do cantor Zezé Di Camargo, cujo show com o irmão Luciano abre o décimo quinto Festival América do Sul Pantanal. Na ocasião também serão divulgadas as demais atrações musicais que se apresentarão no Palco Integração. Já os artistas sul-mato-grossenses que participarão desta grande festa nas mais variadas propostas – artes cênicas, dança, música, cinema, artesanato e economia criativa – já foram selecionados e podem ser conhecidos aqui.

 

Com programação intensa e totalmente aberta ao publico, o Festival América do Sul Pantanal contará com apresentações musicais em três palcos especiais: Integração, onde ocorrem os maiores espetáculos, no Moinho Cultural, com um som mais “intimista” e em Ladário, cidade irmã que mais uma vez participa do evento. Artistas nacionais, músicos de nosso Estado e de outros países sul-americanos se integram em uma programação plural, definitivamente para todos os gostos.

 

Palcos também não faltarão para as apresentações de grupos teatrais, circenses e de dança sul-mato-grossenses, que terão a companhia de coletivos do Peru, Argentina, Bolivia e Uruguai. Peças que desvendam nossas alegrias e fraquezas, encantamento que o só o teatro é capaz de causar; coreografias impactantes, que unem energia e suavidade, a alegria e magia contagiantes do circo. Tudo aberto ao público, em palcos na Praça da Independência, no espaço Caixa Cênica e na Tenda Rio Paraguai, no Porto Geral.

 

Os já tradicionais pavilhões das Artes Visuais e da Economia Criativa revelam muito sobre nossa cultura e, claro, também abrem espaço para as inspirações e a criatividade de artistas e empreendedores de diferentes perfis. Oportunidade para conhecer obras selecionadas por edital pelo Museu de Arte Contemporânea da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul com suas múltiplas cores, formas e propostas. Excelente ocasião também de conhecer destaques do setor criativo, como estandes de moda, design, editoriais e gastronomia.

 

Pavilhão dos Países receberá as plurais inspirações de artesãos sul-mato-grossenses e de artistas da Colômbia, Argentina, Paraguai, Bolívia, Peru e Venezuela. Todas as peças, que revelam traços culturais marcantes de suas origens, serão comercializadas. Também serão realizadas oficinas de criação por mestres da área e confecção de carteiras nacionais de artesão, documento nacional que possibilita a venda de peças em eventos nacionais, como o próprio FASP e feiras pelo Brasil.

 

Quebra-Torto – Pantaneiro em seu jeito, multicultural pela própria diversidade que acolhe. Música, contação de causos, lançamentos editoriais e debates em um espaço de grande beleza. Tudo isso com o gosto da culinária regional e sua deliciosa fartura. O Quebra-Torto com Letras mais uma vez revela traços especiais de nossa cultura e do folclore de todas as regiões do Estado. Terá nesta edição uma programação voltada para a integração, com a participação do escritor e professor uruguaio Fabian Severo e da também escritora argentina Selva Almada.

 

Homenagem 

 

O rio que encanta os turistas que visitam Corumbá, que é alvo de fotos e videos, cenário de passeios e pano de fundo de encantamento e declarações de amor é o grande homenageado desta edição do Festival América do Sul Pantanal. E muito além de sua beleza e sua presença constante como cenário das atrações, o Rio Paraguai é o elo que nos une como irmãos sul-americanos.

 

Pelas suas águas Corumbá recebeu diferentes povos e suas variadas influencias culturais. O rio que alimenta, que transporta e que diverte é a razão de ser das cidades irmãs. Aspecto geográfico de disputa e divisão fronteiriça no passado, seu verdadeiro dom é o da integração. E lugar melhor para celebrar esta dádiva não há.

 

Nas palavras de Zito Ferrari, da Assessoria de Projetos da Fundação de Cultura: “O rio que divide os espaços, as nações, as culturas e as pessoas, é o mesmo rio que une, acolhe e abraça as diferenças para engrandecer o local”.

 

Mostra Rua – Grafitte, oficinas de passinho, slam e de videoclipe, batalha do porto. A arte em constante evolução que vem das ruas, da influência da cultura Hip Hop e que também prega a integração mais uma vez ganha espaço no Festival América do Sul Pantanal. As atividades acontecem no Porto Geral e nos bairros da cidade.

 

Cinema – Filmes que ainda fazem sucesso nas salas de cinema do Brasil e longas metragem premiados internacionalmente estão na seleção de atrações da sétima arte no Festival América do Sul Pantanal. Serão exibidos, sempre com entrada franca: “Bacurau”, de Kleber Mendonça Filho, “Turma da Monica – Laços”, de Daniel Rezende, o premiado “As Herdeiras” (Paraguai), a refilmagem do clássico “Beijo no Asfalto”, de Murilo Benício e “Uma Noite de Doze Anos”, que conta a jornada de sobrevivência de três revolucionários uruguaios, entre eles o ex-presidente José Mujica.

 

Celebração continental – Uma oportunidade de enaltecer nossas identidades culturais e a união de nações com trajetórias muito próximas. O Festival América do Sul Pantanal promove encontros que valorizam a diversidade cultural do continente, a criação e fruição de riquezas, o intercâmbio, a revelação de experiências e debates de temas relativos à cultura, à cidadania, ao meio ambiente e ao desenvolvimento sustentável.

 

Para Mara Caseiro, diretora-presidente da Fundação de Cultura de Mato Grosso de Sul, a realização do FASP é uma oportunidade de garantir a integração cultural dos países e, consequentemente, fomentar a economia de Corumbá e do Estado. “Apesar das dificuldades de um momento de estagnação econômica, o Governo do Estado trabalha para manter este evento tão importante do nosso calendário cultural. Um Festival único no país, que consolida os valores de união entre povos”.

TV Brasil