Da Bolívia, Voyeur Teatro traz máscaras e pirofagias para espetáculo no Fasp

Diretamente da Bolívia, abrindo as portas do teatro no primeiro dia do 15ª Festival América do Sul Pantanal, o grupo Voyeur Teatro, de Santa Cruz de La Sierra, vem apresentar “Sierra Quiabó”, um espetáculo que indaga de maneira poética e visual, temas como poder, tirania e liberdade. Com classificação livre, o encontro está marcado para às 19h do dia 14 de novembro, na Praça Generoso Ponce.

 

A peça é inspirada na obra medieval de Lope de Veja, (Madrid – 1562-1635), intitulada Fuenteovejuna, misturando em um jogo de máscaras e pirofagia, a tradição e as festividades patronais do oriente boliviano.

 

Sierra Quiabó é uma cidade perdida no Leste de um lugar qualquer. Pode ser Comala, Macondo ou Fuenteovejuna. É onde alimentos e bebidas brotam com abundância, um local quente onde não há oceanos próximos e as pessoas comem e bebem como reis.

 

 

Porém, por ser pequena, virou uma cidade fácil de distrair e aplicar a impunidade: logo surge um governante tirano que faz o que quer. Esbanjando luxúria e preguiça, ele sacia todo o apetite às custas do povo, que o obedece em silêncio. Essa autoridade estará disposta a saciar todos os seus apetites a ponto de devorar a própria Lua.

 

Considerado pela crítica boliviana com um dos melhores grupos de teatro do país, Voyeur Teatro usa com maestria suas máscaras elaboradas, perambulando arte em acrobacias, música e até fogos de artifício.

 

 

Com uma pesquisa baseada em poesia e humor, a peça foi adaptada para apresentação em diferentes espaços físicos, colocando em cenas dinâmicas a linguagem e a identidade própria deste grupo. Vale a pena conferir!

 

Ficha técnica:  Direção e dramaturgia: Jorge Calero // Em colaboração com: Snack Tía Ñola, Ruta Teatro y TEU (Teatro Experimental Universitario) // Producción: APAC e Voyeur Teatro 

TV Brasil